sábado, 2 de maio de 2020

Alegria antecipada

Assim esperamos possuir as ricas bênçãos que Deus guarda para o seu povo. Ele as guarda no céu, onde elas não perdem o valor e não podem se estragar, nem ser destruídas.
Alegrem-se por isso, se bem que agora é possível que vocês fiquem tristes por algum tempo, por causa dos muitos tipos de provações que vocês estão sofrendo.
(1Pe 1.4,6 NTLH)


Aprenda a alegrar-se antecipadamente. O motivo da alegria maior está lá na frente, mas ela é certa, vai acontecer. Então por que não usufruir dela? Sim, é como sonhar. Você não vê, nem sente, mas constrói uma imagem, sonha, acredita!

Assim, enfrentemos e suportemos, tirando proveito, das aflições e provas de hoje. Elas são um incentivo para o aperfeiçoamento. Ocorrem agora, mas não para sempre. Na plenitude da salvação não haverá mais dor e teremos as lágrimas enxugadas.

Hoje, as provações estão aí testando e aperfeiçoando o caráter. Nos tornam mais resistentes, sábios e humildes. Nunca perca de vista que “todas as coisas trabalham juntas para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8.28 NVI).

Para suportar traga esperança à sua memória (Lm 3.21). Pessoas, eventos e promessas. Há uma herança à sua espera, guardada e no céu, lugar seguro. Ela não perde o valor, não se estraga e não será destruída. Esperança viva e felicidade verdadeira guardadas pelo próprio Deus para um futuro próximo.

Apoie-se na esperança cristã, em Cristo, e alegre-se por antecipação!



Pr Carlos R. Silva


Referências:
Bíblia NTLH, SBB
Bíblia NVI, Ed Vida
César, Elben M. Lens. Refeições diárias com os discípulos - Viçosa, MG: Ultimado 2013

sábado, 18 de abril de 2020

Solitude ou solidão?

A quarentena, este tempo de afastamento social, pode ser um tempo de solitude ou de solidão.
Depende.
Depende de ter esperança.
Sozinho, mas com esperança, é diferente de solitário.

Deposite esperança nele. Sua voz ecoa pelos séculos: "Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão; ninguém as poderá arrancar da minha mão." (João 10.28).

É a voz do bom pastor que insiste em nos acalmar: esperança, conforto e certeza!
Uma vez dele, sempre, eternamente com ele.


Pr Carlos R. Silva

quinta-feira, 9 de abril de 2020

Aceite ajuda

Era quase Páscoa. Jesus está numa refeição com seus discípulos, a última que comeriam juntos.
Jesus levanta-se, tira sua capa, coloca uma toalha na cintura, começa a lavar os pés dos discípulos e enxuga com a toalha.

Quando chegou-se a Simão Pedro, este lhe disse: "Senhor, vais lavar os meus pés?" Ao que Jesus respondeu: "Você não compreende agora o que estou lhe fazendo; mais tarde, porém, entenderá".

Para alguns, é mais fácil oferecer um ato de serviço do que receber. Pois, quando o outro nos ajuda, nos ministra, precisamos admitir nossa dependência, fraqueza e necessidade.

Pedro terá que deixar de lado sua pose, sua autossuficiência, o vencer pelos próprios esforços e receber a ministração, o serviço de Jesus. Ele terá que agir pela fé.

E para você: é difícil aceitar ajuda?

Que o Senhor nos perdoe da inclinação de nunca ter de pedir nada a ninguém, nem mesmo a ele. Que ele nos perdoe o moralismo, nos lave e nos vista com a sua justiça.


Pr Carlos R. Silva


Referências:
- Bíblia de Estudo NVI, Ed. Vida. Texto João 13.1-17.
- Peterson, Eugene H. Um Ano com Jesus. Editora Ultimato.

Confie

Mas eu, quando estiver com medo, confiarei em ti. Em Deus, cuja palavra eu louvo, em Deus eu confio e não temerei.
Que poderá fazer-me o simples mortal?
(Salmos 56:3-4)

Não somos supercrentes, nem fortes demais, corajosos ou valentes. Somos humanos. E Deus sabe disso. “pois ele sabe do que somos formados; lembra-se de que somos pó.” (Salmos 103:14).

Não é proibido temer. Proibido é não confiar!
Deus te abençoe neste dia!


Pr Carlos R. Silva

sexta-feira, 3 de abril de 2020

Vai passar

igreja
O Corpo de Cristo no tempo e na história


A igreja sobreviveu aos herodes e suas espadas, aos radicais religiosos e suas pedradas, aos romanos e suas cruzes.

Manteve-se de pé diante de um Nero que para si arrogava o título de Deus!

Escondida, não parou de cultuar nos subterrêneos, melhor, nos túmulos, nas catacumbas.

Sobreviveu aos hitlers, saddams e a tantos loucos do apocalipsismo.

Ainda hoje, no deserto, descem em poços, por cordas cultuam e são fortalecidos pelo mesmo Espírito que desceu naquele lugar a portas fechadas em Pentecostes.

Sim, a igreja vai sobreviver ao coronavirus, o COVID-19.

Porque ela é do Senhor Jesus. “Edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16.17).
Nenhuma aflição é novidade. O Senhor da igreja disse “Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo" (Jo 16.33).

O segredo? Estar nele, Jesus. Porque? Ele mesmo responde: "porque sem mim vocês não podem fazer nada” (Jo 16.5).


Pr Carlos R. Silva


domingo, 22 de março de 2020

Um outro mundo

Se vocês de fato obedecerem à lei do Reino encontrada na Escritura que diz: "Ame o seu próximo como a si mesmo", estarão agindo corretamente.
(Tiago 2:8 NVI)


"Dormimos em um um mundo e acordamos em outro.
De repente Disney não tem mais a magia, Paris já não é mais romântica e quem tem boca não pode ir a Roma; em Nova Iorque todos dormem e a muralha da China não é fortaleza.
De repente, não mais que de repente, abraços e beijos tornam-se armas, e não visitar os pais e avós torna-se um ato de amor.
De repente se descobriu que o poder não tem tanto valor e que o dinheiro não tem tanto poder."
(Citação da internet - Mundo. Março, 2020.)

Continue sendo igreja: amando, respeitando, acolhendo. Não existem limites para quem quer fazer o bem. Há de haver um jeito de continuar se doando, cuidando e abraçando. Ainda que de longe.

Seja igreja: e agora, não só no templo, fora dele, onde estiver.

Seja igreja: dando descanso de boatos, excesso de notícias. Proclame amor, salvação e a verdadeira esperança: Jesus.

Tudo o que ele disse, não fica pelo caminho. Suas palavras não passarão (Mt 24.35).

Quem construiu a casa na rocha, não teme os ventos que sopram, a chuva que cai e dão contra essa casa (Mt 7.25).
Não estamos livres, são os mesmos ventos e a mesma chuva que atinge a todos. A diferença são a fé e a esperança.

Deus te abençoe, um domingo de paz em meio à tormenta, orações e amor manifestado em ações!



Pr Carlos R. Silva

segunda-feira, 16 de março de 2020

Coronavírus: à espera de um milagre

Nesses dias de ansiedade, medo e desconfiança, é bom lembrar quem somos e quem é o nosso Deus.
A comparação pode incomodar, mas é fácil perceber o desprezo e até o cinismo de Faraó ao lidar com as “dez pragas” que também poderiam ser chamadas de os “dez milagres”. É repetitivo a sua consternação a cada peste ou epidemia e a imediata mudança de atitude ao receber uma notícia de alívio:
"Mas quando o faraó percebeu que houve alívio, obstinou-se em seu coração e não deu mais ouvidos a Moisés e a Arão, conforme o Senhor tinha dito." (Êx 8.15).
Para que, então, serve um milagre? E se não foi Deus quem fez o milagre? Isso importa?
"Mas os magos do Egito fizeram a mesma coisa por meio de suas ciências ocultas. O coração do faraó se endureceu, e ele não deu ouvidos a Moisés e a Arão, como o Senhor tinha dito." (Êx 7.22).
Enfim, a saída dos israelitas do Egito ainda obrigou Deus a um décimo-primeiro milagre: a abertura do Mar Vermelho. E esse era apenas o início de mais ansiedade, desobediência e incredulidade na caminhada do povo de Deus.
Em 1948, C.S. Lewis tentava responder a uma pergunta que também temos feito: “Como, então, devemos viver?”. E ele mesmo responde: “[...] Como você já vive em uma era de câncer, de sífilis, de paralisia, uma era de ataques aéreos, de acidentes ferroviários, acidentes automobilísticos [...]. Quando a bomba chegar, que ela nos encontre orando, trabalhando, ensinando, lendo, ouvindo música [...]. Ela pode quebrar os nossos corpos mas não precisa dominar nossas mentes”.
E, no embate entre Moisés e Faraó, em meio ao burburinho e à murmuração do povo – que assistia a tudo sem saber o futuro –, uma voz responde insistentemente àquelas e às nossas perguntas: “Para que você saiba que em toda a terra não há ninguém como eu” (Êx 9.14).

REFERÊNCIAS